5 Dicas Para Contratar Um Plano de Saúde Empresarial

O plano de saúde empresarial faz parte do pacote de benefícios disponibilizados pelas empresas — tornando os cargos mais atrativos e valorizando o trabalho do profissional. No entanto, sua contratação deve ser analisada com critério para se adequar a realidade da empresa.

Separamos 5 dicas que podem auxiliá-lo na hora da escolha do melhor plano de saúde empresarial para os seus funcionários. Confira!

1 – Conheça o perfil socioeconômico dos seus funcionários

O plano de saúde deve ser útil para o funcionário, e para que ele se adeque as necessidades dele procure fazer um levantamento e pesquisa interna para conhecer o que eles precisam. Levantar dados como faixa etária e região de moradia serão úteis para decidir qual plano se encaixa melhor no perfil dos funcionários e da empresa.

2 – Entenda quando há carência

Com o contrato fechado, muitos funcionários acreditam que podem utilizar o beneficio imediatamente. No entanto, há um período de carência para planos com menos de 30 beneficiários. Na hora de oferecer o plano ao seu funcionário, você deve alertá-lo quanto a essa questão — o período varia de acordo com cada serviço e deve ser consultado com a operadora do plano de saúde.

3 – Saiba como será calculado o reajuste de seu contrato – sinistralidade e break even

Os planos são reajustados uma vez ao ano, sendo calculado a partir da inflação dos itens médicos e do índice de sinistralidade. Esse cálculo é feito dividindo as despesas com beneficiários pelos valores pagos à operadora.

No momento do contrato, é realizada uma meta de sinistralidade, chamada “break even” — caso o índice real fique muito acima do que foi estabelecido o reajuste será calculado somando a inflação mais o que ficou excedido do “break even”. Além disso, o reajuste pode ser de acordo com a sinistralidade de cada cliente ou levar em consideração toda a carteira da operadora.

4 – Defina como você vai cuidar dos processos do benefício

O acompanhamento da implantação do plano de saúde empresarial pode ser feito diretamente com a seguradora ou por intermédio de uma corretora de seguros. Quando se escolhe a segunda opção, a responsabilidade de administrar o plano e representar os beneficiários é exclusivamente da corretora. Em alguns contratos a corretora também pode assumir os riscos da empresa, caso a mensalidade não seja paga, evitando que outros funcionários sejam prejudicados. Nesses casos, é negociado um percentual sobre as mensalidades pagas.

5 – Comunique o benefício aos funcionários

De nada adianta contratar um plano de saúde empresarial se não houver aceitação dos funcionários. Você deve comunicar a possibilidade da adesão de forma clara e transparente. Instrua o quanto é importante o bom uso do plano para evitar consultas ou exames desnecessários, o que pode aumentar a sinistralidade e encarecer o valor pago pelo plano no ano seguinte — algumas empresas utilizam o sistema de coparticipação, no qual o empregado arca com 10% a 20% do valor de cada consulta ou exame.

Esperamos que essas dicas possam auxiliá-lo na avaliação e escolha do plano de saúde empresarial mais adequado para o seu negócio.

Você tem outras dúvidas sobre plano de saúde para empresa? Acesse o site e saiba mais!

Dica para diabéticos: Pão siri mini

Se tem uma coisa que adoro fazer é ler os rótulos dos alimentos…rs…
Qualquer pessoa deveria fazer isso, mas nós diabéticos, devemos mais ainda!
Saber as características dos alimentos que iremos consumir e saber de que maneira vão impactar na glicemia, principalmente.
Além da glicemia, há outros fatores que também merecem nossa atenção, como por exemplo, o peso corporal e pressão arterial.
Um dia desses estava fazendo um lanchinho e resolvi dar uma olhada nos rótulos de 2 pacotes de pão que estavam na mesa. E fiquei muito feliz pela minha escolha…rs…
Por causa da dieta do Método Destruindo a Diabetes que comecei a seguir, diminui drasticamente a quantidade pão. Mas, às vezes para matar a vontade, como o pão sírio. Adoro!
Então sempre compro um pacote de pão sírio para ter em casa. O Douglas (meu marido) gosta de comer o pão integral. Às vezes ele faz o pão, mas na maioria das vezes compramos um pacote também (precisamos mudar isso, fazer mais e comprar menos!!!). As marcas são as mais variadas, mas temos procurado comprar com aquele que vem em primeiro lugar nos ingredientes, a farinha de trigo integral. Isso significa que este ingrediente é o de maior quantidade no pão. Se você compra, por exemplo, um pão que venha escrito em primeiro lugar farinha de trigo enriquecida com ácido fólico e a farinha integral em segundo ou terceiro, quer dizer que é uma enganação…rs…
Mas, voltando à questão, fiquei feliz ao comparar as duas embalagens.
Por que?
Porque eu como 1 pão sírio (tem que ser da versão mini tá?) que tem a metade da quantidade do pão integral, mas que pra mim alimenta do mesmo jeito…rs… tem um pouquinho menos de carboidratos, bem menos de calorias, muito menos de sódio…Além disso olha a quantidade de ingredientes…Não precisa nem ler…rs…Só ver pela quantidade de um e de outro…Claro que o que tem menos ingredientes, tem menos conservantes e é menos processado e tals…

Valeu a dica? Leia sempre os rótulos! 😉